terça-feira, 30 de junho de 2015

O Espírito Santo - Selo de Deus e penhor da nossa herança. (esboço de pregação)

O Espírito Santo -  Selo de Deus e penhor da nossa herança. (esboço de pregação)  
tipo de sermão: textual  (Veja também: Tipos de Sermões)
texto base: (Efésios 1:13,14)  

Introdução: Quem é o Espírito Santo? O Consolador enviado por Cristo, a terceira pessoa da Santíssima Trindade, o que opera em nós os dons espirituais, o que produz em nós o fruto do Espírito, o que nos guia em toda verdade a pessoa divina para quem Ananias e Safira mentiram. O Santo Espírito é tudo isto e muito mais, mas aqui no texto que tomamos como base Paulo o apresenta como o Selo de Deus, ou seja, a marca de Deus em nós e como o penhor da nossa herança. 

1. O Espírito Santo como Selo "fostes selados com o Espírito Santo da promessa". 

- A presença do Espírito Santo em nós é a marca de que nós pertencemos a Deus. (Romanos 8:16) O Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. 

- A marca do Espírito vem por meio de ouvir e crer na palavra "depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados..." (Efésios 1:13). E certamente só permanece naquele que continua a ouvindo e praticando (Mateus 7:24-27). 

- O que tem a marca (Selo de Deus) está livre da condenação, assim como foram livres os primogênitos dos hebreus no Egito por causa da marca do sangue nas ombreiras das portas. (Romanos 8:1) Nenhuma condenação há para os que andam segundo o Espírito. 

2. O Espírito Santo como Penhor "O qual é o penhor da nossa herança". 

- Penhor significa garantia, Deus nós prometeu a salvação eterna e nos deu uma garantia que a nos dará. Precisamos zelar da garantia, não podemos entristece-lo pois corremos o risco de perdê-lo (Efésios 4:30). Para Davi, perder o Espírito Santo era o mesmo que perder a alegria da salvação (Salmos 51:11,12). 

- Deus nos deu o Espírito como penhor "para redenção da possessão adquirida". O Espírito Santo tem um papel fundamental na nossa redenção, é Ele quem apronta a noiva do cordeiro (Apocalipse 19:7,8) o linho fino, ou seja, as justiças dos santos são a manifestação do fruto do Espírito em nossas vidas. 

- Deus nos deu o Espírito como penhor "para louvor da sua glória". O Espírito Santo também está em nós para que o nome do Senhor seja glorificado na terra por meio de nossas vidas (1 Pedro 2:12). 

Conclusão: Sabemos então que o Espírito Santo é a marca de Deus em nossas vidas, o selo que comprova que pertencemos a Ele. O Espírito Santo também é o penhor, Ele é a garantia de tudo quanto Deus nos prometeu. Zelemos pois pela sua presença!

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Não há Deus?!


sexta-feira, 19 de junho de 2015

Êxodo - curso bíblico - Estrutura do curso

Êxodo - curso bíblico - Estrutura do curso:

Êxodo - curso bíblico - Introdução


I. A OPRESSÃO DOS HEBREUS NO EGITO.
1a. Êxodo - curso bíblico - Os filhos de Israel se multiplicam e são oprimidos no Egito.
1b. Êxodo - curso bíblico - Deus prepara um libertador para tirar o povo do Egito.
1c. Êxodo - curso bíblico - A luta com o opressor para libertar o povo do Egito.


II. O LIVRAMENTO DOS HEBREUS DO EGITO.

III. ISRAEL NO DESERTO.


Êxodo - curso bíblico - Introdução

Êxodo - curso bíblico - Introdução


  O livro de Êxodo é a continuidade da narrativa iniciada em Gênesis. Encontramos nele, portanto, a sequência da história do povo que Deus escolheu para ser o seu povo exclusivo e o prosseguimento do seu plano de redenção da humanidade através deste povo.
  O titulo do livro deriva da palavra grega exodos que significa “saída” ou “partida”, e foi empregado pela primeira vez na septuaginta, que é a tradução do antigo testamento para o grego.

  Em Êxodo vemos como o povo Hebreu foi oprimido no Egito, como o Senhor os libertou de lá com braço forte e os guiou no deserto rumo à terra prometida. O livro foi escrito para que tivéssemos o registro permanente dos atos redentores de Deus, pelos quais Israel foi liberto da escravidão e organizado como a sua nação escolhida. Bem como, para registrar a revelação escrita do pacto entre Deus e o seu povo.

Sobre o livro de Êxodo assinale a opção correta.

(  ) A- O livro de Êxodo é a continuidade da narrativa iniciada em Gênesis. Encontramos nele, portanto, a sequência da história do povo que Deus escolheu para ser o seu povo exclusivo e o prosseguimento do seu plano de redenção exclusivo para o povo de Israel.
 (  ) B- O titulo do livro de Êxodo deriva da palavra grega exodos que significa “chegada” ou “conquista”, e foi empregado pela primeira vez na septuaginta, que é a tradução do antigo testamento para o grego.
 (  ) C- Em Êxodo vemos como o povo Hebreu foi oprimido no Egito, como o Senhor os libertou de lá com braço forte e os guiou pelo paraíso rumo à terra prometida.
 (  ) D- O livro de Êxodo foi escrito para que tivéssemos o registro permanente dos atos redentores de Deus, pelos quais Israel foi liberto da escravidão e organizado como a sua nação escolhida. Bem como, para registrar a revelação escrita do pacto entre Deus e o seu povo.

Confira o gabarito de respostas.

Os filhos de Israel se multiplicam e são oprimidos no Egito. (Êxodo - curso bíblico-1a)

1a. Êxodo - curso bíblico - Os filhos de Israel se multiplicam e são oprimidos no Egito.

  Foram apenas setenta almas da casa de Jacó que desceram para o Egito, com exceção de José que já estava lá (1:5).  Mas depois da morte de José e de todos os seus irmãos os filhos de Israel aumentaram muito de maneira que a terra do Egito se encheu deles (1:6-7). 
  Então levantou-se um novo rei sobre o Egito, que não conhecera a José, o qual temeu que os filhos de Israel, por terem se multiplicado, poderiam se unir aos inimigos dele em alguma guerra e pelejar contra os egípcios. Por isto, decidiu junto com o seu povo os afligir com cargas, e colocaram sobre eles maiorais para afligi-los, e lhes obrigaram a edificar a Faraó cidades-armazéns, Pitom e Ramessés (1:8-11). Mas quanto mais os afligiam, mais eles se multiplicavam, e os egípcios se enfadavam por causa dos filhos de Israel (1:12).
  Depois o rei do Egito disse às parteiras das hebréias que quando nascessem crianças do sexo masculino elas deveriam mata-las já no parto, e deixar com vida apenas as mulheres. As parteiras, porém, temeram a Deus e não fizeram como o rei do Egito lhes dissera, antes conservavam os meninos com vida (1:15-17). Então ordenou Faraó a todo o seu povo que lançassem no rio a todos os filhos homens que nascessem dos hebreus (1:22).

Sobre a multiplicação e a opressão dos filhos de Israel no Egito, assinale a opção incorreta.

(  ) A- Foram apenas setenta almas da casa de Jacó que desceram para o Egito, com exceção de José que já estava lá.  Mas depois da morte de José e de todos os seus irmãos os filhos de Israel aumentaram muito de maneira que a terra do Egito se encheu deles. 
(  ) B- Quando levantou-se um novo rei sobre o Egito, que não conhecera a José, ele temeu que os filhos de Israel, por terem se multiplicado, poderiam se unir aos inimigos dele em alguma guerra e pelejar contra os egípcios. Por isto, decidiu afligi-los. 
(  ) C- Quanto mais os Egípcios afligiam os filhos de Israel, mais eles se aniquilavam e já corriam o risco de desaparecer como povo.
(  ) D- O rei do Egito disse às parteiras das hebréias que quando nascessem crianças do sexo masculino elas deveriam mata-las já no parto. Como as parteiras não lhe obedeceram, ele ordenou a todo o seu povo que lançassem no rio a todos os filhos homens que nascessem dos hebreus.

Confira o gabarito de respostas.

Acesse a estrutura geral do curso.

Deus prepara um libertador para tirar o povo do Egito. (Êxodo - curso bíblico-1b)

1b. Êxodo - curso bíblico - Deus prepara um libertador para tirar o povo do Egito.

  Diante da situação em que se encontrava o seu povo, Deus começa a preparar um homem para usa-lo na libertação deles. Este homem nasceu de um casal da casa de Levi (2:1). Para conserva-lo com vida quando criança sua mãe adotou uma sabia estratégia, através da qual ele acabou sendo adotado pela filha de Faraó, que chamou-lhe Moisés (2:3-10).
  E sendo Moisés já homem, saiu a seus irmãos, e atentou para as suas cargas; e viu que um egípcio feria a um hebreu, então matou ao egípcio, e escondeu-o na areia. No dia seguinte, ele saiu novamente e viu dois homens hebreus brigando e repreendeu ao injusto, mas ele lhe disse: Quem te tem posto a ti por maioral e juiz sobre nós? Pensas matar-me, como mataste o egípcio? Então temeu Moisés e percebeu que havia sido descoberto. Quando Faraó soube deste caso, procurou matar a Moisés; mas Moisés fugiu dele, e habitou na terra de Midiã. (2:11-15) 
  Chegando Moisés à Midiã defendeu as filhas do sacerdote daquele lugar de uns pastores que estavam as expulsando de um poço e as impedindo de dar água ao rebanho de seu pai. Depois daquele dia Moisés morou com aquele homem; e ele deu a Moisés por esposa a sua filha Zípora, com quem Moisés teve um filho que chamou de Gérson, porque disse: Peregrino fui em terra estranha (2:15-22).
  E quando Moisés apascentava o rebanho de Jetro, seu sogro, chegou ao monte de Deus, a Horebe. E o Senhor falou com ele do meio de uma sarça ardente (3:1-4). E o Senhor lhe disse: “Vem agora, pois, e eu te enviarei a Faraó para que tires o meu povo (os filhos de Israel) do Egito.” (3:10).

Sobre a preparação do libertador usado por Deus para retirar o povo de Israel do Egito, considere as seguintes afirmações:

I. Quando este homem nasceu, para conserva-lo com vida sua mãe adotou uma sabia estratégia, através da qual ele acabou sendo adotado pela filha de Faraó, que chamou-lhe Moisés. 
II. Sendo Moisés já homem, saiu a seus irmãos, e atentou para as suas cargas; e viu que um egípcio feria a um hebreu, então matou ao egípcio, e escondeu-o na areia. Quando Faraó soube deste caso, procurou matar a Moisés; mas Moisés fugiu dele, e habitou na terra de Midiã. 
III. Chegando Moisés à Midiã defendeu as filhas do sacerdote daquele lugar de uns pastores que estavam as expulsando de um poço e as impedindo de dar água ao rebanho de seu pai. Depois daquele dia Moisés morou com aquele homem; e ele deu a Moisés por esposa a sua filha Zípora.
IV. Quando Moisés apascentava o rebanho de Jetro, seu sogro, chegou ao monte de Deus, a Horebe. E o Senhor falou com ele do meio de uma sarça ardente. E o Senhor lhe disse: “Vem agora, pois, e eu te enviarei a Faraó para que tires o meu povo, os filhos de Israel, do Egito”.

(  ) A- Todas as alternativas estão corretas. 
(  ) B- Nenhuma das alternativas está correta.
(  ) C- Apenas I e IV estão corretas.
(  ) D- Apenas II e III estão corretas.

Confira o gabarito de respostas.

Acesse a estrutura geral do curso.


A luta com o opressor para libertar o povo do Egito (Êxodo - curso bíblico-1c)

1c. Êxodo - curso bíblico - A luta com o opressor para libertar o povo do Egito.

  Como Moisés tentou se safar da missão que Deus lhe estava confiando usando como justificativa a sua falta de eloquência, então o Senhor designou a seu irmão Arão para ser o seu porta voz (4:10-16). Assim “...foram Moisés e Arão e disseram a Faraó: Assim diz o SENHOR Deus de Israel: Deixa ir o meu povo, para que me celebre uma festa no deserto.” (5:1).
  A resposta de faraó a petição de Moisés e Arão foi através de uma perseguição tirânica. Ele ordenou, naquele mesmo dia, aos exatores do povo, que exigissem deles a mesma meta de tijolos que produziam antes, mas não se deveria dar mais palha ao povo, pelo que eles mesmos teriam que colher a palha para produzir os seus tijolos. Pois dizia ele: “...porque eles estão ociosos; por isso clamam, dizendo: Vamos, sacrifiquemos ao nosso Deus.” (5:4-8).
  Como os filhos de Israel não conseguiram cumprir a sua meta de tijolos sem a palha para produzi-los, então os seus lideres foram açoitados (5:14). E estes acusaram a Moisés e Arão por isto que lhes aconteceu (5:21). O que fez com que o próprio Moisés duvidasse da legitimidade de sua chamada (5:22-23). Mas o Senhor lhe animou dizendo: “...Agora verás o que hei de fazer a Faraó; porque por uma mão poderosa os deixará ir, sim, por uma mão poderosa os lançará de sua terra” (6:1) Então a partir de ai, começou Deus a ferir os egípcios com dez potentes pragas (7.14-11.10).

Sobre a luta de Moisés e dos filhos de Israel com o opressor, considere as seguintes afirmações:

I. O Senhor designou a Arão, irmão de Moisés, para ser o seu porta voz. Assim “...foram Moisés e Arão e disseram a Faraó: Assim diz o SENHOR Deus de Israel: Deixa ir os homens do meu povo, todos os do sexo masculino, maiores de vinte anos, para que me celebrem uma festa no deserto”.
II. A resposta de faraó a petição de Moisés e Arão foi através de uma perseguição tirânica. Ele ordenou, naquele mesmo dia, aos exatores do povo, que exigissem deles a meta dobrada de tijolos que produziam antes.
III. Como os filhos de Israel não conseguiram cumprir a sua nova meta, os seus lideres foram açoitados. Estes, porém sentiram alegria por serem achados dignos de sofrer como servos de Deus.
IV. Depois o Senhor disse a Moisés: “...Agora verás o que hei de fazer a Faraó; porque por uma mão poderosa os deixará ir, sim, por uma mão poderosa os lançará de sua terra”. Então a partir de ai, começou Deus a ferir os egípcios com sete potentes pragas.

(  ) A- Todas as alternativas estão corretas. 
(  ) B- Nenhuma das alternativas está correta.
(  ) C- Apenas I e IV estão corretas.
(  ) D- Apenas II e III estão corretas.

Confira o gabarito de respostas.

Acesse a estrutura geral do curso.

O livramento dos filhos de Israel na Páscoa tipificando a redenção pelo sangue de Cristo (Êxodo - curso bíblico-2a)

2a. Êxodo - curso bíblico - O livramento dos filhos de Israel na Páscoa tipificando a redenção pelo sangue de Cristo.

  Diante das nove primeiras pragas Faraó endureceu o seu coração e não deixou ir o povo de Israel, mas a décima ele não pode suportar, pois o Senhor feriu a todos os primogênitos do Egito, desde o primogênito de Faraó ao primogênito dos servos e até dos animais (11:5).
  E naquela noite em que o Senhor feriu os primogênitos do Egito ele disse a Moisés que ordenasse aos filhos de Israel que celebrassem a Páscoa, que seria a comemoração perpetua pela retirada do povo do Senhor da escravidão do Egito (12:3-10). Eles deveriam comemora-la comendo um cordeiro, mas deveriam comê-lo com os “lombos cingidos”, com os “sapatos nos pés” e com o “cajado na mão” (12:11). Ou seja, preparados para partir porque o livramento do Senhor seria naquela mesma noite.
  Deus ordenou a Moisés que toda a congregação de Israel celebrasse aquela Páscoa da seguinte forma: Deveria se tomar um cordeiro para cada família (12:3). E naquela noite determinada, no décimo quarto dia do mês, eles deveriam sacrifica-lo à tarde (12:6). E com o seu sangue marcar os umbrais das suas casas (12:7). Assim quando o Senhor passasse para ferir os Egípcios com aquela praga, não feriria ele as casas onde houvesse a marca do sangue do cordeiro (12:13). O sangue daquele cordeiro tipificava o sangue de Cristo que é o cordeiro que Deus enviou para morrer a fim de salvar o mundo (João 1:29).
  Chegando aquele dia, os filhos de Israel fizeram como o Senhor havia determinado, e o Senhor cumpriu a sua promessa, feriu a todos os primogênitos do Egito. Então Faraó levantou-se de noite e também todos os egípcios; e havia grande clamor no Egito, porque não havia casa em que não houvesse um morto. E tiveram muita pressa em despedir naquele mesmo instante o povo de Deus (12:30-31). Porque diziam eles: Todos seremos mortos (12:33). Assim libertou o Senhor ao seu povo da escravidão.

Sobre o livramento na Páscoa tipificando a redenção pelo sangue de Cristo, considere as seguintes afirmações:

I. Diante das nove primeiras pragas Faraó endureceu o seu coração e não deixou ir o povo de Israel, mas a décima ele não pode suportar, pois o Senhor feriu a todos os primogênitos do Egito, desde o primogênito de Faraó ao primogênito dos servos e até dos animais.
II. E naquela noite em que o Senhor feriu os primogênitos do Egito ele disse a Moisés que ordenasse aos filhos de Israel que celebrassem a Páscoa. Eles deveriam comemora-la com os “lombos cingidos”, com os “sapatos nos pés” e com o “cajado na mão”, porque o livramento do Senhor seria ainda naquele mês.
III. Deus ordenou a Moisés que toda a congregação de Israel deveria tomar um cordeiro para cada família e sacrifica-lo à tarde. E com o seu sangue marcar os umbrais das suas casas. Assim quando o Senhor passasse para ferir os Egípcios com aquela praga, não feriria ele as casas onde houvesse a marca do sangue do cordeiro. O sangue daquele cordeiro, porém, não tem qualquer relação com o sangue de Cristo, que é o cordeiro que Deus enviou para morrer a fim de salvar o mundo.
IV. Chegando aquele dia, os filhos de Israel fizeram como o Senhor havia determinado, e o Senhor cumpriu a sua promessa, feriu a todos os primogênitos do Egito. Então os egípcios tiveram muita pressa em despedir naquele mesmo instante o povo de Deus. Porque diziam eles: Todos seremos mortos. Assim libertou o Senhor ao seu povo da escravidão.

(  ) A- Todas as alternativas estão corretas. 
(  ) B- Nenhuma das alternativas está correta.
(  ) C- Apenas I e IV estão corretas.
(  ) D- Apenas II e III estão corretas.

Confira o gabarito de respostas.

Acesse a estrutura geral do curso.

Livramento no mar vermelho (Êxodo - curso bíblico-2b)

2b. Êxodo - curso bíblico - Livramento no mar vermelho

  E tendo saído o povo de Israel do Egito o SENHOR ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem, para guiá-los pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo para os iluminar, (13:21). “Nunca tirou de diante do povo a coluna de nuvem, de dia, nem a coluna de fogo, de noite.” (13:22). O Senhor cuidou do seu povo em cada mínimo detalhe.
  Mas o triunfo final sobre os egípcios ainda estava por vir, e Deus preparou toda a situação para entregar a vitória completa a seu povo. Primeiro Deus ordenou a Moisés que fizesse o povo acampar-se junto ao mar (14:2). Depois, endureceu o Senhor o coração de faraó para perseguir novamente os filhos de Israel (14:3-4). Assim ele tomou seiscentos carros escolhidos, e todos os carros do Egito, e os capitães sobre eles para perseguir o povo de Deus (14:5-8).
  Quando o exercito de Faraó se aproximou do povo eles se desesperaram, e temeram muito, e clamaram ao Senhor (14:10). Mas ao mesmo tempo também murmuraram (14:11-12). Moisés, porém, estava crendo no livramento de Deus e disse ao povo: “Não temais... O SENHOR pelejará por vós, e vós vos calareis.” (14:13-14)
  Então o Senhor disse a Moisés: “...levanta a tua vara, e estende a tua mão sobre o mar, e fende-o, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar em seco.” (14:16). E assim o mar se abriu “E os filhos de Israel entraram pelo meio do mar em seco; e as águas foram-lhes como muro à sua direita e à sua esquerda.” (14:22) E os egípcios entraram atrás deles, mas as águas tornaram-se sobre os seus carros e sobre os seus cavaleiros (14:23-26). “Assim o SENHOR salvou Israel naquele dia da mão dos egípcios...” (14:30) “...e temeu o povo ao SENHOR, e creu no SENHOR e em Moisés, seu servo” (14:31).

Sobre o livramento no mar vermelho, considere as seguintes afirmações:

I. E tendo saído o povo de Israel do Egito o SENHOR ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem, para guiá-los pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo para os iluminar. Tanto a coluna de nuvens, quanto a coluna de fogo, ambas acompanharam o povo até que chegaram ao mar vermelho.
II. Mas o triunfo final sobre os egípcios ainda estava por vir, e Deus preparou toda a situação para entregar a vitória completa a seu povo. Primeiro Deus ordenou a Moisés que fizesse o povo acampar-se junto ao mar. Depois, endureceu o Senhor o coração de faraó para perseguir novamente os filhos de Israel. 
III. Quando o exercito de Faraó se aproximou do povo eles se desesperaram, e temeram muito, e clamaram ao Senhor . Mas ao mesmo tempo também murmuraram. Moisés, porém, estava crendo no livramento de Deus e disse ao povo: “Não temais... O SENHOR pelejará por vós, e vós vos calareis”.
IV. Então Moisés disse a Josué: “...levanta a tua vara, e estende a tua mão sobre o mar, e fende-o, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar”. E assim o mar se abriu “E os filhos de Israel entraram pelo meio do mar com a água apenas nos joelhos; e as águas foram-lhes como muro à sua direita e à sua esquerda”. 

(  ) A- Todas as alternativas estão corretas. 
(  ) B- Nenhuma das alternativas está correta.
(  ) C- Apenas I e IV estão corretas.
(  ) D- Apenas II e III estão corretas.

Confira o gabarito de respostas.

Acesse a estrutura geral do curso.


O cântico do livramento em louvor ao redentor (Êxodo - curso bíblico-2c)

2c. Êxodo - curso bíblico - O cântico do livramento em louvor ao redentor

  Diante de tão fabuloso livramento no mar vermelho, então Moisés e os filhos de Israel cantaram um cântico ao Senhor o exaltando pelo seu glorioso triunfo sobre os egípcios (15:1). No cântico eles afirmavam que tinham no Senhor a sua força e prometiam exalta-lo, além de construir-lhe uma habitação, pois o Senhor era o Deus de seus pais (15:2).
  No seu cântico eles também falaram do furor do inimigo e do seu desejo de destruí-los totalmente (15:9), mas como o Senhor destruiu estes inimigos com tamanha facilidade, somente com o seu sopro (15:10). Então reconheceram a soberania do Senhor sobre os demais deuses (15:11).
  Mencionaram também neste seu cântico, a relevância deste ato que o Senhor realizara, no sentido de amedrontar as demais nações que poderiam se colocar como inimigas do povo de Deus, inclusive aquelas que haveriam de ser expulsas para dar lugar aos filhos de Israel em sua herança, a herança que o Senhor os havia prometido (15:14-17).
  E por fim, declararam neste seu cântico que, por este ato tremendo que o Senhor realizara em favor deles, ele reinaria eterna e perpetuamente sobre eles (15:18-19). “Então Miriã, a profetiza, a irmã de Arão, tomou o tamboril na sua mão, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamboris e com danças. E Miriã lhes respondia: Cantai ao SENHOR, porque gloriosamente triunfou; e lançou no mar o cavalo com o seu cavaleiro.” (15:20-21).

Sobre o cântico do livramento em louvor ao redentor, assinale a opção correta.

(  ) A- Diante de tão fabuloso livramento no mar vermelho, então Moisés e os filhos de Israel cantaram um cântico celebrando o seu glorioso triunfo sobre os egípcios. No cântico eles afirmavam que tinham no costume de seus pais a sua força, pois o Senhor fora o Deus de seus pais.
(  ) B- No seu cântico eles também falaram do furor do inimigo e do seu desejo de destruí-los totalmente, mas como o Senhor destruiu estes inimigos com tamanha facilidade, somente com o seu sopro. Então reconheceram a soberania do Senhor sobre os demais deuses.
(  ) C- Neste seu cântico, o povo também lembrou a relevância deste ato que o Senhor realizara, no sentido de amedrontar as demais nações que poderiam se levantar como suas inimigas. Inclusive aquelas com quem os filhos de Israel haveriam de fazer aliança para habitarem juntos em sua herança, a herança que o Senhor os havia prometido.
(  ) D- E por fim, os filhos de Israel, declararam neste seu cântico que, por este ato tremendo que o Senhor realizara em favor deles, ele reinaria eterna e perpetuamente sobre eles. E então Miriã, a profetiza, a irmã de Arão, tomou o tamboril na sua mão, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamboris. Só não dançaram, porque isto não fazia parte do costume deles.

Confira o gabarito de respostas.

Acesse a estrutura geral do curso.

As provas e adversidades dos Israelitas no deserto (Êxodo - curso bíblico-3a)

3a. Êxodo - curso bíblico - As provas e adversidades dos Israelitas no deserto

  A despeito do grande livramento que o Senhor deu a seu povo, contudo, ele não deixou de prova-los. Assim que fez Moisés partir os israelitas do Mar Vermelho já surgiram tribulações, o povo andou três dias no deserto, e não achou água para beber. Depois chegaram a um lugar onde havia água, mas não puderam beber porque a água era amarga, por isso chamou-se o lugar Mara. (15:22-23). O povo mais uma vez murmurou (15:24). Moisés clamou ao Senhor, que lhe mostrou uma árvore, ele então a lançou nas águas, e as águas se tornaram doces (15:25).
  Depois o povo seguiu viagem pelo deserto, e novamente murmuraram, desta vez porque tiveram fome (16:2-3). Então o Senhor disse a Moisés que faria chover pão dos céus, e o povo o colheria diariamente (16:4). Os Israelitas chamaram este pão de maná; e ele era como semente de coentro branco, e o seu sabor como bolos de mel (16:31). Eles comeram o maná por quarenta anos, até que entraram em terra habitada (16:35).
  Depois, os filhos de Israel acamparam em Refidim e novamente foram provados pela sede, pois não havia ali água para o povo beber (17:1). Ali, mais uma vez, o povo murmurou e contendeu com Moisés (17:2-3). Moisés mais uma vez clamou ao Senhor (17:4), então o Senhor lhe disse que tomasse a sua vara e com ela ferisse uma rocha em Horebe, de onde o Senhor fez sair água para o povo beber (17:5-6).
  Depois Israel foi novamente provado, agora pelo combate, pois veio Amaleque, e pelejou contra Israel em Refidim (17:8). Então Moisés disse a Josué que escolhesse homens e saísse à peleja contra Amaleque, enquanto ele estaria sobre o cume do outeiro intercedendo pelo povo (17:9). Quando Moisés levantava a sua mão, Israel prevalecia; mas quando ele abaixava eram derrotados (17:11), então Arão e Hur sustentaram as suas mãos (17:12), assim Josué e o povo prevaleceram (17:13).

Sobre as provas e adversidades do deserto, assinale a opção incorreta.

(  ) A- Depois do grande livramento que o Senhor deu a seu povo, ele não mais quis prova-los. Assim que fez Moisés partir os israelitas do Mar Vermelho cessaram todas as tribulações.
(  ) B- Quando o povo teve fome o Senhor disse a Moisés que faria chover pão dos céus, e o povo o colheria diariamente. Os Israelitas chamaram este pão de maná, eles o comeram por quarenta anos, até que entraram em terra habitada.
( ) C- Quando os filhos de Israel acamparam em Refidim novamente foram provados pela sede, pois não havia ali água para o povo beber. 
(  ) D- Em Refidim Israel também foi provado pelo combate, pois veio Amaleque, e pelejou contra Israel ali. Moisés ficou sobre o cume do outeiro intercedendo pelo povo. Quando Moisés levantava a sua mão, Israel prevalecia, Arão e Hur sustentaram as suas mãos, assim Josué e o povo prevaleceram.

Confira o gabarito de respostas.

Acesse a estrutura geral do curso.

O conselho de Jetro, Deus instrui ao seu povo (Êxodo - curso bíblico-3b)

3b. Êxodo - curso bíblico - O conselho de Jetro, Deus instrui ao seu povo.

  Jetro, o sogro de Moisés, ao visitar o arraial de Israel percebeu que Moisés estava se desgastando e ao mesmo tempo desgastando o povo, pois ele julgava sozinho as causas deles. Jetro então o aconselhou para que procurasse homens capazes, tementes a Deus e os colocassem como maiorais de mil, maiorais de cem, maiorais de cinquenta, e maiorais de dez; para que julgassem todo o negócio pequeno entre eles, e apenas algum negócio grave, trariam a Moisés, assim eles levariam a carga juntamente com ele (18:13-22).
  No terceiro mês da saída dos filhos de Israel da terra do Egito, no mesmo dia chegaram ao deserto de Sinai (19:1), e Israel ali se acampou em frente ao monte (19:2). Então o Senhor chamou a Moisés do monte, e lhe propôs um pacto para os filhos de Israel (19:3): Se eles diligentemente ouvissem a sua voz, seriam a sua propriedade peculiar dentre todos os povos (19:5). Moisés buscou a resposta do povo, e todos disseram a uma voz: Tudo o que o Senhor tem falado, faremos (19:8).
  Uma vez que o povo concordou em firmar o pacto com o Senhor, ele lhes deu os dez mandamentos (20:1-17). E o Senhor severamente advertiu o povo quanto ao pecado de idolatria (20:23), e lhes ordenou que fizessem um altar de terra para lhe sacrificar holocaustos e ofertas pacíficas (20:24).
  Nos capítulos 21, 22 e até o verso 19 do capitulo 23 encontramos varias instruções preventivas, as quais os filhos de Israel deveriam observar no seu relacionamento de uns para com os outros e também para com o Senhor seu Deus. Do verso 20 ao 33 do capitulo 23 o Senhor volta a fazer ao povo promessas concernentes à terra prometida. E no capitulo 24 ele ratifica o conserto com o seu povo. 

Sobre o conselho de Jetro e sobre as instruções de Deus ao seu povo assinale a opção correta.

(  ) A- Jetro, o sogro de Moisés, ao visitar o arraial de Israel percebeu que Moisés estava se desgastando sozinho, ao passo que beneficiava o povo, pois ele julgava sozinho as causas deles.
(  ) B- Quando os filhos de Israel chegaram ao deserto de Sinai o Senhor chamou a Moisés do monte, e lhe propôs um pacto para os filhos de Israel: Se eles diligentemente ouvissem a sua voz, seriam a sua propriedade peculiar dentre todos os povos.
(  ) C- Uma vez que o povo concordou em firmar o pacto com o Senhor, ele lhes deu os dez mandamentos. Mas não mencionou o Senhor, nada sobre o pecado de idolatria, pois não esperava tal atitude de seu povo.
(  ) D- Nos capítulos 21, 22 e até o verso 19 do capitulo 23 encontramos varias instruções preventivas, as quais os filhos de Israel deveriam observar no seu relacionamento para com o Senhor seu Deus. Porém, nada foi mencionado com relação ao relacionamento de uns para com os outros.

Confira o gabarito de respostas.

Acesse a estrutura geral do curso.

Normas e preceitos para a adoração a Deus e fatos que se seguiram (Êxodo - curso bíblico-3c)

3c. Êxodo - curso bíblico - Normas e preceitos para a adoração a Deus e fatos que se seguiram

  Então o Senhor ordenou a Moisés que alçasse uma oferta dentre os filhos de Israel, uma oferta voluntaria, para que lhe fizessem um santuário que ficou conhecido como o Tabernáculo (25:2-8). Deus deu a Moisés a instrução exata de como construí-lo, bem como de cada uma de suas peças, que eram: a arca do testemunho, a mesa, o candelabro, o altar de ouro para o incenso, o altar do holocausto e a pia (40:3-7).
  Depois Deus ordenou a Moisés que separasse a Arão e a seus filhos para lhe administrarem o ofício sacerdotal (28:1), e lhe ordenou que lhes fizesse vestes sagradas para glória e ornamento (28:2) e lhe deu a instrução exata de como deveria ser confeccionados as vestes e os acessórios que eles usariam (28:3-43). 
  Deus lhe instruiu também quanto aos sacrifícios que seriam oferecidos para a consagração dos sacerdotes (29:1-45) e quanto aos sacrifícios que eles, os sacerdotes, continuamente ofereceriam a favor do povo (30:1-28).
  Depois disto o povo caiu no pecado de idolatria (32:1-8), Deus propôs a Moisés destruir aquele povo e levantar dele uma grande nação (32:9-10), Moisés, porém, intercedeu por eles e o Senhor não os destruiu (32:11-14). Então eles acabaram a obra do tabernáculo, e o Senhor o encheu da sua glória (40:33-34).

Sobre as Normas e preceitos para a adoração a Deus apresentados em Êxodo e sobre os fatos que se seguiram, assinale a opção incorreta.

(  ) A- O Senhor ordenou a Moisés que alçasse uma oferta dentre os filhos de Israel, para que lhe fizessem um santuário que ficou conhecido como o Tabernáculo. 
(  ) B- Deus ordenou a Moisés que separasse a Arão e a seus filhos para lhe administrarem o ofício sacerdotal, e lhe ordenou que lhes fizesse vestes sagradas para glória e ornamento. 
(  ) C- Deus instruiu a Moisés quanto aos sacrifícios que seriam oferecidos para a consagração dos sacerdotes e quanto aos sacrifícios que eles, os sacerdotes, continuamente ofereceriam a favor do povo.
(  ) D- O povo caiu no pecado de idolatria, então Moisés pediu a Deus para destruir aquele povo e levantar dele uma grande nação. O Senhor, porém, decidiu não destruí-los, então eles acabaram a obra do tabernáculo, e o Senhor o encheu da sua glória.

Confira o gabarito de respostas.

Acesse a estrutura geral do curso.

Conclusão - curso bíblico - Êxodo

Êxodo - curso bíblico - Conclusão

  Através de Êxodo entendemos melhor como Deus se relaciona com seus escolhidos. Vemos que mesmo os que fazem parte do povo de Deus tem uma forte inclinação para a rebeldia, para a murmuração e para o desviar-se do seu propósito. Percebemos como a misericórdia do Senhor é fundamental para que não sejamos consumidos pela sua ira, motivada pelas nossas muitas falhas. E sobre tudo, constatamos que por mais que o Senhor prove a fé de seus servos, ele jamais os desampara. 

Êxodo - curso bíblico - Gabarito de respostas

Gabarito de respostas - curso bíblico - Êxodo:

1. introdução: letra "D"
1a. Os filhos de Israel se multiplicam e são oprimidos no Egito: letra "C"
1b. Deus prepara um libertador para tirar o povo do Egito: letra "A"
1c. A luta com o opressor para libertar o povo do Egito.: letra "B"
2a. O livramento dos filhos de Israel na Páscoa tipificando a redenção pelo sangue de Cristo: letra "C"
2b. Livramento no mar vermelho: letra "D"
2c. O cântico do livramento em louvor ao redentor: letra "B"
3a. As provas e adversidades dos Israelitas no deserto: letra "A"
3b. O conselho de Jetro, Deus instrui ao seu povo: letra "B"
3c. Normas e preceitos para a adoração a Deus e fatos que se seguiram: letra "D"

Acesse a estrutura geral do curso.



terça-feira, 16 de junho de 2015

Conhecer a Deus (esboço de pregação)

Conhecer a Deus (esboço de pregação) 

tipo de sermão: tópico (Veja também: Tipos de Sermões)

texto base: (Jeremias 9:23,24) 

Introdução: É próprio do ser humano se gabar, ou seja, contar vantagem por muitos motivos. Mas na verdade, a única coisa pela qual realmente se vale a pena gloriar é conhecer ao Senhor Deus e ter um relacionamento profundo com Ele. 

  1. Não basta ouvir falar de Deus é preciso conhecê-lo intimamente. 
  • (Jó 42:5) As lutas e sofrimentos nos levam a um relacionamento mais profundo com Deus, foi o que aconteceu com Jó. 
  • (1 Coríntios 8:3) Conhecer a Deus implica em ama-lo. 
  • (João 14:15) Amar a Deus implica em obedece-lo. 
  • (Oséias 4:6) A falta do conhecimento de Deus traz destruição. 
  • (João 5:39) O principal caminho para conhecermos a Deus é por meio de sua Palavra. 
  1. Conhecer a Deus nos leva a desfrutarmos de suas benção e promessas. 
  • (João 17:3) Conhecer a Deus nos garante a vida eterna. 
  • (Salmos 91:14) Os que conhecem a Deus serão colocados em um alto retiro. 
  • (Malaquias 3:18) A diferença entre aquele que conhece a Deus e o que não conhece é manifesta. 
  • (João 8:32-36) O conhecimento de Deus e da sua verdade traz libertação do pecado. 
  • (2 Pedro 2:20) O conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo nos permite escapar das corrupções do mundo. 
  1. Conhecer a Deus é um processo continuo. 
  • (Oséias 6:3) Precisamos prosseguir em conhecer ao Senhor dia após dia. 
  • (Provérbios 4:18) O caminho daquele que conhece a Deus é como a luz do sol da manhã que brilha cada vez mais forte. 
  • (Oséias 6:6) Deus tem prazer em que o conheçamos cada vez melhor. 
  • (Tiago 4:8) Quando nos achegamos a Deus para conhecê-lo Ele também se chega a nós. 
  • (Apocalipse 22:11) Aquele que tem se santificado para conhecer a Deus deve continuar fazendo isto. 

Conclusão: Precisamos estar dia após dia envolvidos num processo de conhecer cada vez mais o nosso Deus, conhecê-lo de forma intima e profunda só assim desfrutaremos suas melhores bênçãos para nós.